sexta-feira, 27 de abril de 2018

Neverwhere & "as pessoas sem nada"


     Assim que postei a resenha de Lugar Nenhum, livro do autor Neil Gaiman, disse que voltaria na próxima semana com uma postagem relacionando o livro á série de TV. Infelizmente não consegui, semana passada a quinta-feira ficou em branco aqui (coisa que estou tentando evitar esse ano, com todas as forças, juro!), mas dei um jeitinho para que esse post não ficasse de fora das publicações desse mês e trouxe, para fechar abril, alguns comentários á respeito de Neverwhere
    SIM, Lugar Nenhum é um livro inspirado no roteiro de uma série que foi ao ar em 1996 pelo canal inglês BBC Two, escrito originalmente por Gaiman e Lenny Henry. Acredito que muita gente não saiba, como eu demorei para descobrir, então resolvi fazer esse post como forma de divulgar essa curiosidade da obra de Gaiman e comentar um pouquinho sobre minhas impressões á respeito da série.



    Pois é, assisti! Depois de certa dificuldade para fazer o download (que não consegui com que as legendas viessem junto), terminei de ver a série homônima que foi lançada um ano antes do meu nascimento!  xD
    Se ainda não leram o livro, a história é o que vocês puderam ler pela resenha (e se não conferiram a resenha, é só clicar aqui). Richard Mayhew conhece Door ferida numa rua, e depois que ajuda a garota ele passa a ser reconhecido somente pelos do mundo dela - a misteriosa Londres De Baixo. Isso para ilustrar bem rapidamente o enredo para vocês, que é muito bem descrito no livro, com todos os detalhes dos caminhos pelos esgotos e peculiaridades dos demais personagens envolvidos na aventura. 
   É engraçado pensar que o livro veio depois da série, pois assim você pensa: "legal, não vai ter cena faltando e..." blá blá blá. É importante dizer que a experiência é realmente muito boa, é tudo muito fiel ao que você tinha em mente  - isso se a pessoa leu antes de assistir, claro -, e a caracterização dos personagens não deixa a desejar. O Mercado Flutuante é tão difícil de imaginar ser possível, quanto; o jeitão dos personagens é tão caricato, quanto... E mesmo a qualidade das imagens não sendo grande coisa, levando em conta o suporte de produção da época também, eu gostei de assistir! 


   O elenco me surpreendeu. O ator que interpreta o Richard é o Gary Bakewell, que foi o que eu tinha em mente: desengonçado, confuso, perguntador. A Door é a personagem que mais me fez sentir empatia na série, muito bem representada pela atriz Laura Frase. O marquês ganha o destaque merecido com o ator Paterson Joseph, e os inconvenientes Sr. Croup e Vandemar continuaram me deixando frustrada na série como fiquei ao ler o livro (eu disse, leia a resenha!). 
   Só que eu senti falta de algumas coisas, sim! Por mais que tudo nos remeta claramente ás cenas do livro, principalmente se você leu há pouco tempo, é aí que você nota as sutis diferenças. Na verdade, eu posso estar falando besteira levando em conta que esse volume da Intrínseca não é a primeira versão que o autor fez do roteiro, que, inclusive, possui cenas extras e é dita como a edição favorita de Gaiman. Ele pode ter incluído coisinhas ali e aqui, julgando melhorar a história - e concordo! Nada contra - e azar o meu?
     Então, aqui vai a dica de ouro: assista a série primeiro. Sério, normalmente o indicado é o contrário, não é? Pois bem, mas eu  gostaria de ter feito desse jeito, pois lendo depois você ganha os preciosos detalhes que não estão nas cenas gravadas e, assim, sente que a história ganhou mais vida, entende? O inverso da a impressão de que você foi ter por último uma versão reduzida da história e isso não é legal, querendo ou não, você vai assistir querendo ver o que leu! 

    Nossa Thaís, é tão diferente assim? NÃO! É igualzinho, só que comprimido em 30 minutos por episódio. São seis episódios. E o livro tem 336 páginas. O que você acha?
    Uma cena que eu morri de rir no livro, que é quando a Anasthaesia oferece carne de gato ao Richard, é corrida na série e nem conseguiu produzir uma fagulha de graça em mim. Triste. Uma cena do livro, lá para o final, onde o Richard conversa com o Gary sobre a vida, que eu julgo importante, foi cortada - ou simplesmente não existia ainda, na época, na mente dos autores! 
    O que eu estou querendo dizer é: a produção é muito boa, foi o que veio primeiro, então é o livro que, dessa vez, vai ter algumas disparidades... Se quiser assistir aos episódios, lembre-se disso antes! Ou, leia o livro por último para formar uma melhor apreensão da história :)

    Volto a dizer: o enredo vale super a pena! Gaiman nos faz pensar de modo fantástico na existência de uma cidade abaixo da que estamos acostumados, com "pessoas sem nada" (como o próprio Gaiman diz), ignoradas, que ganham voz. Apesar de certos personagens com pouca personalidade, algumas cenas previsíveis e diálogos enfadonhos, o que importa em Lugar Nenhum é essa perspectiva de realidade x loucura que Richard Mayhew vive. E é a Londres De Baixo que ganha o protagonismo nessa história banhada de criatividade de Neil Gaiman.
     Bem gente, foi isso. Gostei bastante do livro, foi muito bem ver a série, e se você gosta de história infantojuvenis com fantasia urbana, recomendo! Lembrando que só dei minha opinião mesmo, e quero saber a sua! Leu? Assistiu? Quer ler ou assistir? Comenta aí para mim! Espero que tenham gostado e até mais!



Fonte: 

https://omelete.com.br/quadrinhos/noticia/neil-gaiman-prepara-continuacao-de-bestseller-lugar-nenhum/

http://www.31demarco.com/2014/05/serie-neverwhere-1996.html


3 comentários:

  1. Será que o autor a série não reproduziu bem a sua estória e por isso resolveu lançar o livro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não seria por esse lado de "não reproduziu bem", pois todas as cenas da série realmente estão no livro, bem encaixadinho, e as que faltam na série em comparação com o livro não alteram o sentido do enredo. Mas o fato é que em livro uma história ganha muito mais descrição, mais vida, né? Então ele deve ter feito com a intenção de destacar mais a trama, apenas, aprofundar a vida de alguns personagens e etc. E sim, consequentemente aumentar umas coisinhas hahaha' Por isso sugeri a leitura por último :) Ah, e também criaria um gancho para continuar uma história que talvez não fosse rentável na época em série, pois parece que vem livro 2!

      Excluir
    2. E obrigada por comentar, Danilo! <3

      Excluir